11.1.19

We Can't Win

I was told
To distance myself from a situation
When it makes me nervous
But I don't want distance
When distance always seems to be the thing
That comes and hurts us

We can't win
How can I feel alright
When I'll hate myself for it?
And this feeling
In the back of my head since I woke up
I can't ignore it

The Goon Sax, We Can't Win, em We're Not Talking (2018)

Wet! Wet! Wet! Wet!

Expulsa esse demónio
que nem gato
filho
depois de lamber o pêlo todo

JPEGMAFIA, Real Nega, em Veteran (2018)

2.1.19

-

[Roma (2018), Alfonso Cuarón]

28.12.18

Nervo

Estou a ter uma reacção inesperada a uma música de Carlos Paredes, com a qual julgava não ter qualquer história: arrepios, tristeza, angústia. Como se o meu corpo se lembrasse de algo mas o meu cérebro já não o soubesse nomear.

Cristais

– Não ficas mal-disposto a ler no carro?
– Não, nem toda a gente fica. Tem a ver com o teu ouvido interno.
– Portanto o meu é ruim, é isso?
– Não, simplesmente os teus cristais desalinham-se com mais facilidade.

Se isto não é um verso.

Os meus cristais desalinham-se com mais facilidade.

26.12.18

Orações

I'm so
I'm so reborn
I'm movin' forward
Keep movin' forward
keep movin' forward
Ain't no stress on me Lord
I'm movin' forward
Keep movin' forward
keep movin' forward

KIDS SEE GHOSTS, Reborn, em KIDS SEE GHOSTS (2018)

24.12.18

-

© Marion Fayolle

I'm so fuckin' grateful for my ex / Thank you, next

(O hino do ano, ou da vida.)

Encontros imediatos do terceiro grau

– Tu és a Cláudia?...
– Sim.
– E tens um nome de guerra.
– Menina Limão?...
– Pois. Sabes que há uns anos, o meu psicólogo disse-me: "Tem de ler o blogue da Menina Limão". Eu nunca tinha ouvido falar.

#wtf #wtf #wtf

(O nome desse irresponsável, já!)

I ain't even tryna fuck my ex

(Música viciante do ano.)

Solvitur ambulando

Resolve-se andando.

3.12.18

-

For a time they confronted each other like two mute unspeaking forts. 

Malcolm Lowry, Under the Volcano

2.12.18

-

(Pedro Costa, Serralves)

A meus braços, Padgett

Não é condão da impotência rebentar com tudo, amigos

But-but-but-but, nothing but the rear bumper's blown

I'm not a ladies' man, I'm a land mine
Filming my own fake death
Under an '88 Cavalier, I go
But-but-but-but, nothing but the rear bumper's blown
But I was born for this flight
United 955 on the Fifth of July
Back to SFO, I-I
I join the dark si-ide
In a thin disgui-ise
On consumer grade video at ni-ight

Faking suicide for applause
In the food courts of malls
And cursing racing horses on church steps
Playing The Wall at singles bingo
All-time gringo
Did anyone hear me cry there?
Through a toilet-stall divider
I swear, I care, not

Am I an example of a calculated birth
To a star chart for clowns? I'm not
Under Robin's eggs in a nest
You hid a manila envelope
With one last little Robin's egg in it
A hollow bullet yet spent
Subject to dismissal
I wish all my pitfalls
Could be caught by this call —

Cheeri-A
Cheeri-E
Cheeri-I
Cheeri-O
Cheeri-U

Why?, The Vowels Pt. 2, em Alopecia (2008)

(Continua grandiosa.)

22.11.18

Que crueldade

I'd like to sit around and dream you up a perfect miracle
I'd part the clouds and have the sun proudly shining on you
I'd take the stars as well and line them up to spell "Darling, I love you"
And little by little watch it all come true

I'd like to sit around and dream you up a perfect miracle
I'd catch the wind and have it blow all my kisses to you
I'll take the birds and teach them all the words of every love song I know
And I'd have them fly around and sing them all to you

Darling, you know, I'm sorry
I won't get to see you today
My mind is a mess and I'm needing you less
Give me a call in a little while

I'd like to sit around and dream you up a perfect miracle
'Cause every time I close my eyes, I'm just dreaming of you
There ain't a man around could knock me off my cloud 'cause "Darling, I love you"
And little by little watch it all come true

Darling, you know, I'm sorry
I won't get to see you this week
Lately I've found I don't need you around
I don't think it's working out anyway
Anyway, and...

I'd like to sit around and dream you up a perfect miracle
'Cause you're the only girl I ever met who's honest and true
I'd like to settle down with you and mess around a house on the hill
And I'm sitting here hoping it'll all come true
(Sitting here hoping it'll all come true)

Darling, you know, I'm sorry
(I'd like to sit around and dream you up a perfect miracle)
I won't get to see you this spring
(I'd part the clouds and have the sun proudly shining on you)
My phone has been broke and I thought that we spoke
(I'd take the stars as well and line them up to spell "Darling, I love you")
Don't think it's working out anyway
(And little by little watch it all come true)
Anyway, and...

Darling, you know, I'm sorry
(I'd like to sit around and dream you up a perfect miracle)
I won't get to see you this year
(I'd catch the wind and have it blow all my kisses to you)
I hate to confess but I've changed my address
(I'll take the birds and teach them all the words of every love song I know)
I haven't been home in a little while
(And I'd have them fly around and sing them all to you)
A little while, and...

Darling, you know, I'm sorry
(I'd like to sit around and dream you up a perfect miracle)
I won't get to see you again
(I'd like to tell the whole world I'm crazy 'bout you)
I met someone else, you should do it yourself
(I like you every second, every minute, every hour of the day)
So darling, please don't call
(But now I'm sitting here going "When you gonna come home?")
Please don't call

Spiritualized, A Perfect Miracle, em And Nothing Hurt (2018)

9.11.18

Resumindo

(E no entanto, este esquema que não prevê a gravidade dos três-ao-mesmo-tempo.)

Yea-eaaah

3.11.18

Contaminações, XVI

















1. Fotografia de Dr. S. D. Jouhar, Self Shadowgram (1958)

2. Poster de Kingu Kongu no gyakushû / King Kong Escapes (1967, dir. Inoshiro Honda) por Marek Mosinski (1968)

3. Poster de Czlowiek Na Torze (1957, dir. Andrzej Munk), por Stanislaw Zamecznik (1957)

4. Poster de Loong Boonmee raleuk chat / O Tio Boonmee que se Lembra das Suas Vidas Anteriores (2010, dir. Apichatpong Weerasethakul)

5. Loong Boonmee raleuk chat / O Tio Boonmee que se Lembra das Suas Vidas Anteriores (2010, dir. Apichatpong Weerasethakul)

6. Jin-Roh (1999), Hiroyuki Okiura

7. Village of the Damned (1995, dir. John Carpenter)

8. X: The Man With The X-Ray Eyes (1963, dir. Roger Corman)

26.10.18

Worshipping everything I lack is dumb

Girlpool, Picturesong (2018)

24.10.18

To think that

Drones, To Think Taht I Once Loved You, em Feelin Kinda Free (2016)

Hors chant

Há os que lambem os sorvetes
na ponta do iceberg
Os que fodem bem melhor
entre o primeiro e o quinto
Os que não pedem licença
para chegarem a velhos
E os que guardam esqueletos
em armários sempre abertos
Os que já matam o bicho
ainda o sol não desponta
E os que lêem romances
e ninguém lhes faz de conta.

Há os que correm o risco
de sair mesmo ao papá
Há os que fazem crianças
nos lugares onde se morre
Os que só vestem a roupa
por outros já muito usada
Há os que ousam dizer
se ninguém estiver a ouvir
Há os que gostam da rua
se ela for mal frequentada
E os que saem à semana
pouco antes da madrugada
com ar de cair da cama.

Há quem durma no jardim
mesmo na hora de ponta
Há quem aprenda espanhol
por pura correspondência
Há quem ande mascarado
por horror ao carnaval
Há quem venda o seu cuzinho
para não vender o resto
Há quem cague fora de horas
e coma fora do prato
Há quem seja pau mandado
só para mandar num rebanho
E há quem chore baba e ranho
quando toda a gente se ri
de um disparate tamanho.

Há reis com reis na barriga
e rainhas só de copas
Há segredos que se dizem
só para alguém os guardar
Há todos os que só atraem
para não serem traídos
Há muitos que acendem fogos
que não sabem apagar
Há santos em cada casa
e alguns fazem milagres
E há demónios à solta
que só podem causar danos
a quem conseguir prendê-los.

Há quem fique p’ra morrer
com vontade de matar
Há quem corra por desgosto
porque cansou de gostar
Há quem não saia do sítio
para não perder lugar
Há quem se ponha na fila
para ser mais indiano
Há quem se ponha às escuras
para crescer mais depressa
E há quem acenda uma luz
e a mantenha sempre acesa
para ser sombra chinesa

Regina Guimarães, 40 x Abril

-

Ao sair da prisão, esperavas-me,
com uma ostra fresquíssima sobre as palmas
das mãos. Será sempre essa a imagem
que guardarei de ti, quer fiquemos juntos
para sempre, como dizem os padres,
quer partas para a China mais longínqua,
que é o coração de outro homem.
Depois de cinco anos cimentado,
rodeado pela música torturante de respirações
sem freio e sem paz, trouxeste-me o mar
a uma terra interior, onde até os homens livres,
até as crianças, caminham de cabeça baixa.
Por isso, nunca te darei prendas no Natal
ou no teu aniversário: nada se poderia comparar
àquela lágrima feliz e vagamente sólida
que, nesse dia, me desceu pela garganta
até ao sítio indeterminado em que nos distinguimos
das feras. Posso apenas tentar confundir-me
com o tapete do corredor, com a torneira
da cozinha, com o creme que pões na cara,
de manhã ou à noite, e deixar que me dês o uso
que te parecer melhor, ou que não me dês uso algum,
e aproveitar cada minuto dos teus gestos mais leves,
que, também eles, se assemelham ao mar,
quando as noites são calmas e o luar o ilumina
na baía Cádis.

Miguel Martins

3.10.18

I have to sigh now

I’m so confused I’m so confused
I’m so confused I’m so confused

(You’re thinking too much)
I know
(You’re thinking about this too much)
I know